'Tommy goes out into the night to seek an elf': o (des-)tecer e o (des-)dizer do sujeito nas obras de Robert Duncan e de Jess

  • Graça Capinha Universidade de Coimbra - ILC

Resumo

Partindo do pensamento de Richard Feynman acerca do significado de tudo e das noções de entalpia e entropia, este texto procura discutir a questão da construção da identidade pela negativa – um des-tecer e des-dizer de si – nas obras do poeta Robert Duncan e do seu companheiro, o químico e pintor Jess (Collins). Numa poética, a um tempo, política e sexual, ambos os artistas tentam lidar com a violência da linguagem na construção de um modelo de representação que não tem outra opção que não seja a de confrontar o discurso hegemónico (como modo de lutar contra “formas para libertar a Forma”, como diria Duncan). Ambos os artistas lidam com a apreensão da luz (beleza/conhecimento/sabedoria) na escuridão, apanhando os fragmentos de um Todo (seja este a nação, a comunidade, o amor ou o próprio Cosmos), que é sempre inalcançável e que, contudo, se sabem a nele participar, no seu movimento, “It”. O seu projecto comum de uma grand collage constrói uma consciência radical da alteridade e da performatividade que usa uma linguagem metonímica e inclusiva como construção democrática do real.

Publicado
2020-12-29
Como Citar
Capinha, G. (2020). ’Tommy goes out into the night to seek an elf’: o (des-)tecer e o (des-)dizer do sujeito nas obras de Robert Duncan e de Jess. ELyra: Revista Da Rede Internacional Lyracompoetics, (16), 41-51. Obtido de https://www.elyra.org/index.php/elyra/article/view/345