Sobre Formas de Vida e de Morte

  • Susana Scramim
Palavras-chave: Poesia moderna, corpo, sagrado, contemporâneo

Resumo

Para Colette Peignot, que assinava sob o pseudônimo de Laure, o caráter ativo da escrita literária constituiu-se na sua mais profunda busca existencial. Seu intransigente e angustiado modo de vida e de escrita promoveu uma pungente discussão com Georges Bataille, o que resultou na reflexão deste sobre as formas de vida frente à castração corporal e mental do militarismo e da política policialesca tanto das forças de esquerda quanto da direita nos inícios do século XX. Nos poucos textos de Laure, o pathos trágico se impõe como eixo de leitura, no entanto, é paradoxal esse aspecto trágico de sua escrita diante de sua paixão pela comunicabilidade e pelo sagrado. Sobre os poemas de Laure e a relação libertária entre poesia e corpo e as filiações desse modo de viver, na comparação com os poemas de Paula Glenadel, poeta contemporânea brasileira, é que este texto se organiza.
Como Citar
Scramim, S. (2014). Sobre Formas de Vida e de Morte. ELyra: Revista Da Rede Internacional Lyracompoetics, (3). Obtido de http://www.elyra.org/index.php/elyra/article/view/46